sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Eduardo Cunha defende candidatura de Lula e ataca centrão em carta

© AFP/Getty Images

Preso desde outubro de 2016, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB-RJ), defendeu a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto, criticou a atuação do Congresso e prometeu voltar à vida pública. "Confio em Deus que vou reverter o quadro e voltarei a participar do cenário político", escreveu em carta divulgada nesta sexta-feira (17).

O emedebista foi condenado em junho a 24 anos e 10 meses de prisão por desvios na Caixa Econômica Federal. Em novembro de 2017, outro processo rendeu a ele pena de 14 anos e 6 meses de prisão por receber propinas em troca de contratos da Petrobras.

No texto, Cunha se compara a Lula, preso desde 7 de abril, condenado em 2ª instância no caso do tríplex do Guarujá. "É notório que sou vítima de uma perseguição, por ter sido o responsável pelo impeachment, que retirou a Dilma [Rousseff] e o PT do Governo, e sou, assim como o ex-presidente Lula, um troféu político da República de Curitiba."

De acordo com o ex-deputado, cabe aos brasileiros decidir se Lula deveria voltar ao poder. O PT registrou a candidatura do ex-presidente na última quarta-feira (15), mas a expectativa é que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o declare inelegível, pela Lei da Ficha Limpa. "Como defensor da democracia, acredito que lula tem direito de ser candidato, pois quem deve julga-lo é a população", diz a carta. "O petista não deve ser eleito pelo custo que impôs ao povo com sua desastrada escolha, mas jamais impedido de disputar", completa Cunha.

Como presidente da Câmara, o ex-deputado foi responsável por aceitar o pedido de impeachment de Dilma Rousseff em 2 de dezembro de 2016, horas após deputados do PT anunciarem que votariam contra ele no Conselho de Ética da Câmara.

Responsável pelo fortalecimento do centrão, Cunha criticou a atuação do grupo e defendeu a adoação do parlamentarismo. "A situação do país é muito difícil e a eleição não acabará com a crise. Qualquer candidato que saia vitorioso terá enorme dificuldade de governar, pois dependerá de um Congresso eleito totalmente desvinculado de suas propostas e compromissos", disse na carta, sem citar o bloco formado por DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade, que apoia a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida presidencial.

Ele também criticou os critérios da eleição atual, incluindo o fim de financiamento empresarial e sinalizou para o risco de o próximo presidente não chegar ao fim do mandato. "Chegamos a um momento muito difícil. O Congresso será eleito no pior dos modelos políticos, com voto individual, financiamento público e sem qualquer compromisso com a governabilidade. O eleitor precisa estar atento que alguns dos candidatos a presidente, se eleito forem, correm o risco de não durarem um ano de governo."

Cunha sinalizou também a dificuldade do próximo governo aprovar medidas impopulares. "A título de exemplo, de que adianta ao candidato do PSDB ter uma base de apoio tão extensa, mas com a maioria dos parlamentares sendo contra a reforma da previdência? Imagina outros candidatos que nem base tem para apoiá-los!", afirmou. Informações Huffpost Brasil.

Polícia Militar é morto após tentativa de assalto a um ônibus escolar em Caraúbas

Reprodução/redes sociais

O policial militar, Ildônio José da Silva, de 43 anos, morreu na tarde desta quinta-feira,16, após ser baleado na cabeça em uma tentativa de assalto na cidade de Caraúbas, localizada a 301 quilômetros de Natal. Foi o 21º agente de segurança assassinado no Rio Grande do Norte em 2018.
De acordo com testemunhas, o policial estava dentro de um ônibus de transporte escolar que foi alvo de um assalto. Durante a ação criminosa, Ildônio da Silva teria sido reconhecido como policial e foi assassinado em seguida. O PM era lotado na 3ª Companhia de Polícia Militar de Caraúbas.
A Associação de Praças da PM de Mossoró e Região, oferece uma recompensa de R$ 1 mil a quem repassar informações que indiquem o paradeiro dos assassinos do soldado da Polícia Militar Ildônio José. “A entidade garante o sigilo do denunciante”, informou a instituição em nota oficial.
As informações podem ser repassadas por meio dos seguintes números:
Disque Denúncia 181 ou 98132 6057
Delegacia de Caraúbas (84) 33372305
Polícia Militar 190 ou 996805322

Agora RN

Patrimônios dos candidatos a governador do RN variam de zero a R$ 10,5 milhões

José Aldenir / Agora RN (Robinson e Carlos Eduardo) / PSOL / Divulgação (Carlos Alberto) - Robinson Faria, Carlos Alberto e Carlos Eduardo são os mais ricos

O governador Robinson Faria, candidato à reeleição pelo PSD, declarou à Justiça Eleitoral ter um patrimônio avaliado em mais de R$ 10,5 milhões. À frente dos outros sete adversários, ele é o candidato mais rico a disputar a eleição para o Governo do Rio Grande do Norte.
Segundo a declaração apresentada ao Tribunal Regional Eleitoral, o patrimônio de Robinson está distribuído em bens imóveis, aplicações financeiras, depósitos bancários, veículos e ações. O valor declarado (R$ 10,5 milhões) é superior ao que foi apresentado à Justiça em 2014, quando o governador disse ter R$ 8,3 milhões.
O segundo candidato mais rico na disputa para o Governo é Carlos Alberto Medeiros (PSOL). O socialista declarou à Justiça Eleitoral ter patrimônio avaliado em R$ 4,9 milhões – composto também por bens imóveis, aplicações financeiras, depósitos bancários, veículos e ações. Candidato a vice-prefeito de Natal em 2012, Carlos Alberto disse ter R$ 2,5 milhões àquela época.
Na terceira posição, aparece Carlos Eduardo Alves (PDT). Ele declarou ter atualmente R$ 3,5 milhões, valor superior aos R$ 1,9 milhão declarados em 2016, quando o pedetista disputou a Prefeitura do Natal.
Depois dele, surge Brenno Queiroga (Solidariedade), com R$ 975 mil de patrimônio – distribuídos em veículos, cotas de capital e bens imóveis.
Primeira colocada nas pesquisas de intenção de voto, Fátima Bezerra (PT) declarou ter patrimônio de R$ 807 mil. Ela é a quinta (de oito candidatos) com maior valor em bens. Ela declarou ter R$ 558 mil em 2014, quando venceu a disputa para o Senado.
CONFIRA O PATRIMÔNIO DE TODOS OS CANDIDATOS
1° Robinson Faria (PSD) – R$ 10.586.005,00
2° Carlos Alberto Medeiros (PSOL) – R$ 4.922.716,02
3° Carlos Eduardo Alves (PDT) – R$ 3.522.502,89
4° Brenno Queiroga (Solidariedade) – R$ 975.000,00
5° Fátima Bezerra (PT) – R$ 807.668,42
6° Dário Barbosa (PSTU) – R$ 215.000,00
7° Freitas Júnior (Rede Sustentabilidade) – R$ 1.103,20
8° Heró Bezerra (PRTB) – Não declarou bens

Agora RN

‘Desesperado’, Real Madrid quer pagar mais de R$ 1 bilhão por Neymar

© REUTERS O presidente do clube espanhol não ficou satisfeito com o time que tem em mãos após a saída de Cristiano Ronaldo

Neymar voltou ao radar do Real Madrid. Segundo noticiou o jornal catalão “Sport” nesta sexta-feira (17), o presidente do clube espanhol, Florentino Pérez, não está 100% feliz com o atual elenco da equipe merengue e está “desesperado” por não conseguir encontrar um substituto para Cristiano Ronaldo, que foi para a Juventus.

Como o mercado fecha em duas semanas, o cartola está disposto a fazer uma loucura por Neymar. Pérez quer pagar 300 milhões de euros para tirar o atacante brasileiro do Paris Saint-Germain. A quantia equivale a aproximadamente R$ 1.329 bilhão.

A negociação não é impossível, pois o PSG pode ser obrigado a vender Neymar caso seja punido pela UEFA, que tem aberta uma investigação contra o clube francês acerca dos patrocinadores apresentados, em valores recebidos que envolvem ainda o Banco do Qatar.

A decisão do comitê de apelação da Uefa será conhecida no fim deste mês de agosto. O PSG nega irregularidades e diz que tudo está em ordem.

Caso o clube parisiense seja punido e tenha de vender atletas, o Real vai com tudo para cima de Neymar. Vai ver que é por isso que os espanhóis ainda não anunciaram nenhuma estrela.

Esporte Ao Minuto

Sábado será Dia D de vacinação contra a pólio e o sarampo

© Fornecido por Agência Brasil

Postos de saúde em todo o país abrem as portas neste sábado (18) para o chamado Dia D de Mobilização Nacional contra o sarampo e a poliomielite.

Todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos devem receber as doses, independentemente de sua situação vacinal. A campanha segue até 31 de agosto.

A meta do governo federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal nessa faixa etária, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Até a última terça-feira (14), no entanto, 84% das crianças que integram o público-alvo ainda não haviam recebido as doses.

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, o que significa que mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço.

No caso da pólio, as que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral. 

Para o sarampo, todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos vão receber uma dose da Tríplice Viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Casos de sarampo
Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo - em Roraima e no Amazonas. Até a última terça-feira (14), foram confirmados 910 casos no Amazonas, onde 5.630 outros casos permanecem em investigação. Já em Roraima, são 296 casos confirmados e 101 em investigação. 

Há ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, casos isolados e relacionados à importação nos seguintes estados: São Paulo (1), Rio de Janeiro (14), Rio Grande do Sul (13), Rondônia (1) e Pará (2). 

Até o momento, foram confirmadas no Brasil seis mortes por sarampo, sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro) e dois no Amazonas (brasileiros). 

Agência Brasil

Comitê da ONU diz que Lula deveria disputar eleição e participar de debates mesmo na prisão

© AFP Lula foi apresentou pedido à Justiça Eleitoral para disputar a Presidência, mas sua participação na eleições ainda é incerta

O Comitê de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) acolheu pedido da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e pediu que o Brasil garanta os direitos políticos do ex-presidente que, mesmo preso, teve candidatura à Presidência nas eleições de outubro registrada junto à Justiça Eleitoral.

A ONU solicitou que o Estado Brasileiro "tome todas as medidas necessárias para permitir que o autor (Lula) desfrute e exercite seus direitos políticos da prisão como candidato nas eleições presidenciais de 2018, incluindo acesso apropriado à imprensa e a integrantes de seu partido político". Segundo a decisão, também foi solicitado que Lula não seja impedido de "concorrer as eleições presidenciais de 2018 até que todos os recursos pendentes de revisão contra sua condenação sejam completados em um procedimento justo e que a condenação seja final".

Mas o que isso significa na prática?
"Este pedido não significa que o Comitê tenha encontrado uma violação (contra Lula) ainda - é uma medida urgente para preservar o direito de Lula, enquanto se aguarda a consideração do caso sobre o mérito, que acontecerá no próximo ano", informou à BBC News Brasil o Comitê de Direitos Humanos da ONU.

O Comitê esclareceu ainda que o nome técnico da decisão é "medidas provisórias" e está relacionada à queixa apresentada pela defesa de Lula junto à entidade. 

Por fim, o Comitê disse que "pediu ao Brasil que tome todas as medidas necessárias para garantir que Lula possa desfrutar e exercer seus direitos políticos enquanto estiver na prisão, como candidato nas eleições presidenciais de 2018". 

Para a defesa do ex-presidente, a decisão assegura a Lula o direito de disputar as eleições até o fim, mesmo tendo sido condenado em primeira e segunda instâncias a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro - condição que o coloca como impedido de concorrer, de acordo com a Lei da Ficha Limpa. Vai poder também dar entrevistas e receber correligionários.

"Diante dessa nova decisão, nenhum órgão do Estado Brasileiro poderá apresentar qualquer obstáculo para que o ex-presidente Lula possa concorrer nas eleições presidenciais de 2018 até a existência de decisão transitada em julgado em um processo justo, assim como será necessário franquear a ele acesso irrestrito à imprensa e aos membros de coligação política durante a campanha", informou, por meio de nota, os advogados Valeska Teixeira Zanin Martins e Cristiano Zanin Martins.

No entanto, mesmo os signatários da convenção de direitos humanos da ONU não são legalmente obrigados a seguir uma recomendação do Comitê de Direitos Humanos, ainda que isso possa gerar desgaste junto à comunidade internacional.

Segundo a defesa de Lula, o Comitê de Direitos Humanos da ONU acolheu pedido liminar da defesa do ex-presidente apresentado em 25 de julho deste ano.

A defesa de Lula tem acionado a ONU e informado o Comitê de Direitos Humanos sobre os desdobramentos das decisões contra o ex-presidente desde de 2016, quando os advogados de Lula decidiram recorrer à entidade contra o juiz Sérgio Moro, acusando-o de violar direitos.

A decisão desta sexta, segundo a defesa, levou em conta pedido no qual argumentou-se que o artigo 25 do Pacto de Direitos Civis da ONU foi violado e que há risco de danos irreparáveis a Lula na tentativa de impedi-lo de concorrer nas eleições presidenciais ou de negar-lhe acesso irrestrito à imprensa ou a membros de sua coligação política durante a campanha.Os advogados de Lula afirmam ainda que, por meio do Decreto nº 6.949/2009 o Brasil "reconhece a jurisdição do Comitê de Direitos Humanos da ONU e a obrigatoriedade de suas decisões".

BBC News

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Falta emprego para 27,6 milhões no País, mostra IBGE

© Foto: Paulo Whitaker/Reuters

A taxa composta de subutilização da força de trabalho teve ligeiro recuo de 24,7% no primeiro trimestre de 2018 para 24,6% no segundo trimestre do ano, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) trimestral, divulgados nesta quinta-feira,16, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O resultado equivale a dizer que faltava trabalho para 27,636 milhões de pessoas no País no segundo trimestre deste ano.

O indicador inclui a taxa de desocupação, a taxa de subocupação por insuficiência de horas e a taxa da força de trabalho potencial, pessoas que não estão em busca de emprego, mas estariam disponíveis para trabalhar.

No segundo trimestre de 2017, a taxa de subutilização da força de trabalho estava mais baixa, em 23,8%.

Estadão

Tomar cerveja todos os dias pode evitar demência, revela novo estudo

(Pixabay)

Boas notícias para quem aprecia uma cerveja depois do expediente: pesquisadores franceses descobriram que o consumo moderado de álcool pode ajudar a evitar o desenvolvimento de demência durante a velhice.
Os resultados do estudo foram publicados no jornal científico British Medical Journal e mostram que a ingestão de 14 doses por semana – mais ou menos uma latinha por dia – pode ser algo saudável.
Entenda
A pesquisa acompanhou 9 mil voluntários durante 23 anos e descobriu que as pessoas que não bebiam apresentaram 45% mais probabilidade de desenvolver demência do que os que bebiam.
Os pesquisadores explicam que não se sabe exatamente qual é a relação entre o consumo moderado de álcool e o desenvolvimento de demência. Isso porque outras variantes, como estilo de vida e alimentação, não foram levadas em conta.
“Com certeza os abstinentes podem diferir de outras formas além do fato de não consumirem álcool, e é importante entender essas razões”, aponta David Spiegelhalter, professor de bioestatística do Laboratório de Estatística da Universidade de Cambridge.
Afinal, por que o álcool ajuda?
Outros estudos realizados apontam que o consumo baixo de álcool pode ajudar a estimular a estimular o sistema glinfático, responsável por “limpar” o cérebro, eliminando uma toxina encontrada em pacientes com Alzheimer.
Cuidado
Os cientistas alertam ainda que é preciso considerar que o consumo de bebidas alcoólicas pode prejudicar o funcionamento do corpo de outras maneiras, como com doenças hepáticas.
Yahoo Notícias

Aposentado pode consultar valor da primeira parcela do 13º nesta sexta

© DR

Aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) poderão consultar o valor exato da primeira parcela do abono de Natal a partir de sexta-feira (17), dia em que a Previdência começa a processar a folha de pagamentos do mês de agosto.

Nessa etapa, os aposentados receberão exatamente a metade do valor do benefício. O depósito sai com as aposentadorias e pensões e acompanha o calendário mensal do INSS.
A antecipação do abono vem sendo feita pelo governo nos últimos anos e foi confirmada pela gestão Michel Temer (PMDB) em meados de julho. O depósito da primeira parte vem sem a cobrança do Imposto de Renda. Se o segurado estiver sujeito à tributação, ela chegará na segunda parcela, paga a partir de novembro.
No dia 27, o primeiro da folha de agosto, receberão o benefício e a primeira parcela do 13º os segurados que ganham o salário mínimo, de R$ 954, e têm o cartão terminado em 1.
A Secretaria da Previdência explica que nem todos os segurados estarão com o extrato atualizado já no dia 17. Tradicionalmente, o processamento vai ocorrendo aos poucos e começa pelos benefícios iguais ao piso.
No dia 27, quando inicia o pagamento, todos os segurados com direito ao abono conseguirão fazer a consulta. O calendário segue até o dia 10 de setembro. A Previdência estima que os pagamentos somem R$ 20,6 bilhões em agosto e setembro.
Valor proporcional Segurados com benefício por invalidez ou os que começaram a receber aposentadoria ou pensão a partir de fevereiro não terão o equivalente à metade do benefício.
No caso dos auxílios, o INSS considera que há a possibilidade de o segurado ter alta antes do fim do ano. Por isso, ele recebe o equivalente aos meses em que teve o auxílio até o mês de agosto. A diferença é paga no corte do auxílio ou em dezembro. Com informações da Folhapress. 

Filho do ex-prefeito de Lajes é morto a tiros em sequestro relâmpago na capital potiguar


O filho do ex-prefeito de Lajes Benes Leocádio foi morto a tiros na tarde desta quarta-feira (15) em um sequestro relâmpago na capital potiguar. Benes Júnior tinha 16 anos.

De acordo com informações da Polícia Militar, o adolescente foi abordado por criminosos quando foi buscar documentos dentro do carro que estava estacionado na Avenida Romualdo Galvão, no Tirol. Os criminosos roubaram o carro e levaram o adolescente como refém.

Ainda segundo informações da PM, os dois criminosos circularam por quase uma hora com o adolescente até que se depararam com uma viatura na Avenida Moema Tinoco, na Zona Norte de Natal. Houve perseguição e troca de tiros com a polícia.

Um criminoso e o adolescente foram baleados. O jovem foi levado para UPA do Pajuçara, na Zona Norte de Natal, mas chegou morto ao local. Um criminoso também morreu. O outro bandido foi preso e levado para a Central de Flagrantes.

Benes Leocádio foi cotado para ser candidato a vice-governador na chapa de Robinson Faria, mas não aceitou para se candidatar a deputado federal.

Em nota, a secretária de Segurança Pública, Sheila Freitas, afirmou que "o crime não terá trégua". "O crime que toma conta do país, e que aqui se instalou,não vai vencer o Estado do Rio Grande do Norte. Com toda a dor de quem é mãe, mulher e policial, quero aqui dizer que vamos lutar com todas as nossas forças, erguer nossas muralhas e aumentar ainda mais a nossa energia", diz.

Confira a nota na íntegra:

"Vivemos uma guerra. Uma guerra sem tréguas. Todos os dias, milhares de policiais saem de suas casas para enfrentar o crime organizado, o tráfico de drogas e as facções criminosas. Todos os dias prendemos bandidos, desmontamos quadrilhas e exercemos a força da lei e do Estado. Hoje, durante mais uma ação contra o crime, perdemos mais uma vida. A vida de mais um jovem. Mas o crime não vai nos vencer. O crime que toma conta do país, e que aqui se instalou,não vai vencer o Estado do Rio Grande do Norte. Com toda a dor de quem é mãe, mulher e policial, quero aqui dizer que vamos lutar com todas as nossas forças, erguer nossas muralhas e aumentar ainda mais a nossa energia. Em honra ao jovem de hoje e aos potiguares que pereceram nesta guerra e que não conseguimos proteger em sua plenitude. O crime não terá trégua. Não vai me vencer. Não vai vencer as polícias do RN. E não vai vencer um estado inteiro de cidadãos de bem."

G1 RN